} -->

Central Life

CENTRAL LIFE

QUEM SOMOS E COMO FUNCIONA A CENTRAL LIFE

sábado, 3 de abril de 2021

Quem Somos


A Central Life é uma pessoa jurídica regularmente constituída com o objetivo de intermediações pelo agendamento de consultas médicas, exames laboratoriais e de imagens no particular com preços acessíveis.

Estamos localizados na Avenida Ipiranga, 318| Bloco B| Conjunto 301| 3º  Andar| República|São Paulo                    (cinco minutos do Metro República)

NOSSOS SERVIÇOS:

Particular:  Para sua família que não em plano de saúde agendamos consultas médicas e exames laboratoriais e de imagens com preços que cabem no bolso.

NÃO SOMOS CONVÊNIO MÉDICO, POR ISSO NÃO TEMOS:

  • Taxas de anuidade
  • Taxas de mensalidade
  • Taxas de adesão
  • Sem limite de idade
  • Sem doenças pré-existente
Empresas:  Para Empresa oferecemos comodidade e preços acessíveis na realização de
  1.  exames complementares (laboratoriais, imagens) de acordo com cada PCMSO.
  2. exames clínicos (admissional, demissional, periódico, troca de função, retorno ao trabalho) emitindo os Atestados de Saúde.
 Missão: Serviço de alta qualidade, com profissionais treinados e qualificados, comprometimento na execução de nossos serviços

Visão:Ser líder de mercado buscando a excelência e a satisfação de prestação de serviços

Valores:

Ética e transparência

Qualidade

Inovação

Comprometimento


 

A IMPORTÂNCIA DO RAIO X NOS EXAMES COMPLEMENTARES

terça-feira, 16 de março de 2021

A Importância do Raio X nos exames complementares

Entre os exames complementares de imagens para Medicina do Trabalho e para Exames exigidos no Edital de Concurso Público,  a Central Life conta com profissionais especializados em Medicina Radiológica e com o equipamento necessário para a correta avaliação dos diferentes exames de Raio X .

Estamos localizados na Avenida Ipiranga, 318| Bloco B| Conjunto 301| 3º Andar| Edifício Normanda| República| São Paulo| SP que fica à três minutos (a pé) do Metro República.

 História do Raio X


Os raios X, foram descobertos em 1895, pelo físico Wilhelm Conrad Rontgen, enquanto estudava um tubo de raios catódicos em sua residência.

O princípio do tubo era um vidro, dentro do qual se colocava um material condutor que, quando aquecido, emitia elétrons, que ficaram conhecidos como raios catódicos.

Em um de seus experimentos, Rontgen percebeu que ao ligar esse tubo, uma placa feita de um material fluorescente brilhou. Esse brilho logo se apagou ao desligar o tubo.

Mais tarde, o físico fez com que aqueles raios que saíam do tubo atravessassem a mão da sua esposa até chegarem a uma chapa fotográfica do lado oposto.

Depois, foi possível ver uma imagem dos ossos da esposa revelada na chapa, foi assim que o raio X foi descoberto.

Raio X de Tórax PA

Raio X de Tórax PA: é realizado para exames admissionais, demissionais e periódicos à colaboradores e para concursados que serão  expostos no local de trabalho ao, pó, névoa, câmaras frias, tintas e solventes.

Pode ser realizado antes da contratação, onde será estipulado pelo Médico Coordenador do PCMSO, durante o exercício da função e na demissão, para avaliar a condição de cada colabordor.

O Raio-X de Tórax PA , permite avaliar as estruturas dessa região como os pulmões, o tamanho e a contorno do coração, mediastino, pleura, diafragma e os ossos da caixa torácica (costelas, externo e vértebras), inclui-se ainda os grandes vasos e a traque

Apesar de ser simples, o exame radiológico do tórax ajuda o médico a detectar várias doenças com problemas respiratórios e com patologias no conteúdo e nas estruturas próximas ao local fotografado durante o exame.Não sendo necessário nenhum preparo para realização deste exame. 

No caso de gestantes, a conduta dos médicos costuma ser de adotar sempre o grau máximo de cautela e recomendam que as gestantes marquem, para depois do parto, exames não urgentes.

Raio-X (Pa+Perfil)

No Raio-X de Tórax Pa (Póstero-Anterior) Perfil ou lateral é o exame da região do tórax em duas posições. Solicitado, para exames admissionais, demissionais e periódicos pelo Médico Coordenador do PCMSO para identificar ou avaliar patologias na região do tórax.

 Entre as mais comuns estão: fraturas, pneumonia, tuberculose, doença pulmonar obstrutiva. 

Raio X  OIT

O Raio X OIT é um exame solicitado pelo Médico do Trabalho, de acordo com a atividade do colaborador  na empresa.Ele é capaz de registrar imagens de órgãos internos, como por exemplo os pulmões.

·     Ao acrescentar OIT no rx de tórax, utiliza-se uma convenção internacional do trabalho, com informações registradas durante a interpretação do exame voltado para doenças ocupacionais.

·      As sociedades de radiologia do mundo, procuraram desenvolver um método capaz de ser usado em qualquer lugar do planeta, para interpretar a  radiologia e registrar as alterações decorrentes de exposição a poluentes em áreas de trabalho de um colaborador.

A aceitação desses exames em qualquer lugar do planeta traz segurança e modernidade para qualquer serviço que oferece esse recurso

Raio X daColuna Vertebral:

É um exame que pode ser pedido pelo Médico do Trabalho para colaboradores que carregam peso (carregadores, pedreiros, serventes, etc.),

Os Raios-X da coluna vertebral quando são solicitados pelo Médico do Trabalho tem como objetivo de avaliar e diagnosticar doenças que afetam qualquer área da a coluna vertebral e suas estruturas próximas.

Os Raios X da ColunaVertebral, também podem ser realizados para diagnosticar:dor nas costas, no pescoço, fraturas ou ossos quebrados, artrite, deslocamento ou deslizamento de uma vértebra sobre o que está abaixo dela, degeneração dos discos tumores, anormalidades no alinhamento da coluna vertebral como cifose,escoliose, ou anomalias congênitas.












PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE COVID-19

terça-feira, 30 de junho de 2020

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE COVID-19           


Após a confirmação do primeiro caso positivo de coronavírus no Brasil e em toda a América Latina, as autoridades de saúde estão em estado de atenção para rastrear a propagação e impedir a disseminação do vírus COVID-19, que foi relatado pela primeira vez em Wuhan, na China, em 31 de dezembro de 2019.

É importante que a população acompanhe as atualizações diárias sobre o coronavírus disponíveis no site da OMS (Organização Mundial da Saúde) e saiba as principais medidas de proteção, seja com ou sem o contato com o vírus. Confira as principais dúvidas:

 O que é o coronavírus?

Os coronavírus são uma grande família de vírus que podem causar doenças em animais ou humanos. Em humanos, sabe-se que vários coronavírus causam infecções respiratórias que variam do resfriado comum a doenças mais graves, como a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS) e a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS). O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença de coronavírus COVID-19.

O que é a COVID-19?

COVID-19 é a doença infecciosa causada pelo coronavírus descoberta mais recentemente. Este novo vírus e doença eram desconhecidos antes do início do surto em Wuhan, China, em dezembro de 2019.

 Quais são os sintomas da COVID-19?

Os sintomas mais comuns da COVID-19 são febre, cansaço e tosse seca. Alguns pacientes podem ter dores, congestão nasal, corrimento nasal, dor de garganta ou diarreia. Esses sintomas geralmente são leves e começam gradualmente. Algumas pessoas são infectadas, mas não desenvolvem sintomas e não se sentem mal. A maioria das pessoas (cerca de 80%) se recupera da doença sem precisar de tratamento especial. Cerca de 1 em cada 6 pessoas que é infectado pela COVID-19 fica gravemente doente e desenvolve dificuldade em respirar. As pessoas idosas e as que têm problemas médicos, como pressão alta, problemas cardíacos ou diabetes, têm maior probabilidade de desenvolver doenças graves. Cerca de 2% das pessoas com a doença morreram. Pessoas com febre, tosse e dificuldade em respirar devem procurar atendimento médico.

Como a COVID-19 se espalha?

As pessoas podem pegar a COVID-19 de outras pessoas que têm o vírus. A doença pode se espalhar de pessoa para pessoa através de pequenas gotículas do nariz ou da boca que se espalham quando uma pessoa com COVID-19 tosse ou exala. Essas gotículas pousam em objetos e superfícies ao redor da pessoa. Outras pessoas pegam a COVID-19 tocando esses objetos ou superfícies e depois tocando os olhos, nariz ou boca. As pessoas também podem pegar COVID-19 se respirarem gotículas de uma pessoa com COVID-19 que tosse ou exala gotículas. É por isso que é importante ficar a mais de 1 metro de distância de uma pessoa doente.

A OMS está avaliando pesquisas em andamento sobre a maneira como o COVID-19  é disseminado e continuará a compartilhar descobertas atualizadas.

O vírus que causa o COVID-19 pode ser transmitido pelo ar?

Estudos até o momento sugerem que o vírus que causa a COVID-19 é transmitido principalmente pelo contato com gotículas respiratórias, e não pelo ar.

A COVID-19 pode ser detectado em uma pessoa que não apresenta sintomas?

A principal maneira pela qual a doença se espalha é através de gotículas respiratórias expelidas por alguém que está tossindo. O risco de contrair COVID-19 de alguém sem sintomas é muito baixo. No entanto, muitas pessoas com COVID-19 apresentam apenas sintomas leves. Isto é particularmente verdade nos estágios iniciais da doença. Portanto, é possível pegar a COVID-19 de alguém que tenha, por exemplo, apenas uma tosse leve e não se sinta mal. A OMS está avaliando pesquisas em andamento sobre o período de transmissão da COVID-19 e continuará a compartilhar descobertas atualizadas. 

Posso pegar o COVID-19 nas fezes de alguém com a doença?

O risco de pegar COVID-19 nas fezes de uma pessoa infectada parece ser baixo. Embora as investigações iniciais sugiram que o vírus possa estar presente nas fezes em alguns casos, a disseminação por essa via não é uma característica principal do surto. A OMS está avaliando pesquisas em andamento sobre a maneira como a COVID-19 é disseminada e continuará a compartilhar novas descobertas. Como isso é um risco, isso é outro motivo para limpar as mãos regularmente, depois de usar o banheiro e antes de comer.

O que posso fazer para me proteger ou impedir a propagação da doença?

Fique atento às informações mais recentes sobre o surto de COVID-19, disponíveis no site da OMS e por meio de sua autoridade nacional e local de saúde pública. A COVID-19 ainda está afetando principalmente as pessoas na China, com alguns surtos em outros países. A maioria das pessoas infectadas experimenta uma doença leve e se recupera, mas pode ser mais grave para outras pessoas. Cuide da sua saúde e proteja os outros fazendo o seguinte:

 Limpe regularmente e cuidadosamente as mãos com um esfregão à base de álcool ou lave-as com água e sabão.

Mantenha pelo menos 1 metro de distância entre você e qualquer pessoa que esteja tossindo ou espirrando.

Evite tocar nos olhos, nariz e boca.

Certifique-se de que você e as pessoas ao seu redor seguem uma boa higiene respiratória. Isso significa cobrir a boca e o nariz com o cotovelo ou o tecido dobrado quando tossir ou espirrar. Em seguida, descarte o tecido usado imediatamente.

Fique em casa se não se sentir bem. Se você tiver febre, tosse e dificuldade em respirar, procure atendimento médico e ligue com antecedência. Siga as instruções da sua autoridade sanitária local.

Mantenha-se informado sobre os últimos desenvolvimentos sobre o COVID-19. Siga as recomendações do seu médico, da sua autoridade nacional e local de saúde pública ou do seu empregador sobre como proteger a si e aos outros do COVID-19.

Qual a probabilidade de eu pegar a COVID-19?

O risco depende de onde você mora ou de onde viajou recentemente. O risco de infecção é maior em áreas onde várias pessoas foram diagnosticadas com COVID-19. Mais de 95% de todos os casos de COVID-19 estão ocorrendo na China, com a maioria dos casos na província de Hubei. Para as pessoas na maioria das outras partes do mundo, atualmente o risco de contrair COVID-19 é baixo; no entanto, é importante estar ciente da situação e dos esforços de preparação em sua área.

A OMS está trabalhando com autoridades de saúde da China e do mundo para monitorar e responder aos surtos de COVID-19.

Devo me preocupar com a COVID-19?

Se você não estiver em uma área onde o COVID-19 está se espalhando, ou se você não viajou de uma dessas áreas ou não teve contato próximo com alguém que está ou não se sentindo bem, suas chances de obtê-lo são atualmente baixas. No entanto, é compreensível que você se sinta estressado e ansioso com a situação. É uma boa idéia obter os fatos para ajudá-lo a determinar com precisão seus riscos, para que você possa tomar precauções razoáveis. Seu médico, sua autoridade nacional de saúde pública e seu empregador são todas as fontes potenciais de informações precisas sobre o COVID-19 e se ele está na sua área. É importante ser informado da situação em que você mora e tomar as medidas apropriadas para se proteger. (Consulte Medidas de proteção para todos).

Se você estiver em uma área onde há um surto de COVID-19, você precisará levar a sério o risco de infecção. Siga os conselhos emitidos pelas autoridades sanitárias nacionais e locais. Embora para a maioria das pessoas o COVID-19 cause apenas doenças leves, pode deixar algumas pessoas muito doentes. Mais raramente, a doença pode ser fatal. As pessoas mais velhas e as que têm condições médicas pré-existentes (como pressão alta, problemas cardíacos ou diabetes) parecem ser mais vulneráveis

 Quem possui mais risco de desenvolver doenças graves?

Ainda estamos aprendendo sobre como o COVID-19 afeta pessoas, idosos e pessoas com condições médicas pré-existentes (como pressão alta, doenças cardíacas ou diabetes), no entanto, o vírus parece desenvolver doenças graves com mais frequência nesses grupos.

Os antibióticos são eficazes na prevenção ou tratamento do COVID-19?

Não. Os antibióticos não funcionam contra vírus, eles funcionam apenas em infecções bacterianas. A COVID-19 é causado por um vírus, portanto os antibióticos não funcionam. Antibióticos não devem ser usados ​​como um meio de prevenção ou tratamento de COVID-19, devendo ser usados ​​apenas como indicado por um médico para tratar uma infecção bacteriana.

Existe uma vacina, medicamento ou tratamento para o COVID-19?

Ainda não. Até o momento, não há vacina nem medicamento antiviral específico para prevenir ou tratar o COVID-19. No entanto, as pessoas afetadas devem receber cuidados para aliviar os sintomas. Pessoas com doenças graves devem ser hospitalizadas. A maioria dos pacientes se recupera graças aos cuidados de suporte.

Possíveis vacinas e alguns tratamentos medicamentosos específicos estão sob investigação. Eles estão sendo testados através de ensaios clínicos. A OMS está coordenando esforços para desenvolver vacinas e medicamentos para prevenir e tratar o COVID-19.

 As maneiras mais eficazes de proteger a si e aos outros contra a COVID-19 são limpar frequentemente as mãos, cobrir a tosse e manter uma distância de pelo menos 1 metro de distância das pessoas que estão tossindo ou espirros.

COVID-19 é o mesmo que SARS?

Não. O vírus que causa a COVID-19 e o que causa a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) estão relacionados entre si geneticamente, mas são diferentes. A SARS é mais mortal, mas muito menos infecciosa que a COVID-19. Não houve surtos de SARS em nenhum lugar do mundo desde 2003.

Devo usar uma máscara para me proteger?

Pessoas sem sintomas respiratórios, como tosse, não precisam usar máscara médica. A OMS recomenda o uso de máscaras para pessoas com sintomas de COVID-19 e para aqueles que cuidam de pessoas com sintomas, como tosse e febre. O uso de máscaras é crucial para os profissionais de saúde e as pessoas que cuidam de alguém (em casa ou em um estabelecimento de saúde).

 OMS recomenda o uso racional de máscaras médicas para evitar o desperdício desnecessário de recursos preciosos e o uso indevido de máscaras. Use uma máscara somente se você tiver sintomas respiratórios (tosse ou espirro), suspeitar de infecção por COVID-19 com sintomas leves ou se estiver cuidando de alguém com suspeita de infecção por COVID-19. Uma suspeita de infecção por COVID-19 está ligada a viagens em áreas onde os casos foram relatados, ou contato próximo com alguém que viajou nessas áreas e ficou doente.

Quanto tempo dura o período de incubação da COVID-19?

O “período de incubação” significa o tempo entre a captura do vírus e o início dos sintomas da doença. A maioria das estimativas do período de incubação da COVID-19 varia de 1 a 14 dias, geralmente em torno de cinco dias. Essas estimativas serão atualizadas à medida que mais dados estiverem disponíveis.

 Os seres humanos podem ser infectados com a COVID-19 por meio de uma fonte animal?

Os coronavírus são uma grande família de vírus comuns em animais. Raramente, as pessoas são infectadas com esses vírus, que podem se espalhar para outras pessoas. Por exemplo, o SARS-CoV foi associado a gatos civeta e o MERS-CoV é transmitido por camelos dromedários. Possíveis fontes animais de COVID-19 ainda não foram confirmadas.

Para se proteger ao visitar mercados de animais vivos, evite o contato direto com animais e superfícies. Garanta sempre boas práticas de segurança alimentar. Manuseie carne crua, leite ou órgãos de animais com cuidado para evitar a contaminação de alimentos não cozidos e o consumo de produtos de animais crus ou mal cozidos.

Posso pegar o COVID-19 do meu animal de estimação?

Não. Não há evidências de que animais de companhia ou animais de estimação, como gatos e cães, foram infectados ou podem espalhar o vírus que causa o COVID-19.

Quanto tempo o vírus sobrevive nas superfícies?

Não é certo quanto tempo o vírus que causa a COVID-19 sobrevive na superfície, mas parece se comportar como outros coronavírus. Estudos sugerem que os coronavírus (incluindo informações preliminares sobre o vírus COVID-19) podem persistir nas superfícies por algumas horas ou até vários dias. Isso pode variar sob diferentes condições (por exemplo, tipo de superfície, temperatura ou umidade do ambiente).

Se você acha que uma superfície pode estar infectada, limpe-a com um desinfetante simples para matar o vírus e proteger a si e aos outros. Limpe as mãos com um produto à base de álcool ou lave-as com água e sabão. Evite tocar nos olhos, boca ou nariz.

É seguro receber uma encomenda de qualquer área em que o COVID-19 tenha sido relatado?

Sim. A probabilidade de uma pessoa infectada contaminar mercadorias comerciais é baixa e o risco de pegar o vírus que causa a COVID-19 em um pacote que foi movido, transportado e exposto a diferentes condições e temperatura também é baixo.

Existe algo que eu não deva fazer?

As seguintes medidas NÃO são eficazes contra o COVID-2019 e podem ser prejudiciais:

Fumar

Tomar remédios tradicionais à base de plantas

Usando várias máscaras

Tomar automedicação, como antibióticos 

De qualquer forma, se você tiver febre, tosse e dificuldade em respirar, procure atendimento médico com antecedência para reduzir o risco de desenvolver uma infecção mais grave e compartilhe seu histórico de viagens recente com o seu médico.

 

Fonte: Organização Mundial da Saúde




CORONAVÍRUS: COMO SE PREVENIR?

domingo, 22 de março de 2020


 
Central Life © 2012 | Designed by Bubble Shooter, in collaboration with Reseller Hosting , Forum Jual Beli and Business Solutions